Grupo 4, 12º D da Escola Secundária de Vizela
Segunda-feira, 01.03.10

     O Índice de massa corporal (IMC) é uma medida que permite avaliar a adequaçao entre peso e altura. Só é aplicado na populaçao adulta e nao pode ser aplicado a atletas, crianças e mulheres grávidas ou a amamentar.

     O cálculo do IMC, permite-nos saber se o nosso peso é normal, ou seja, adequado à nossa estatura, e assim, podemos manter um peso saudável.

 

 

 

publicado por Alimentação e Saúde às 11:09 | link do post | comentar | ver comentários (10) | adicionar aos favoritos

     Nao podemos estipular um valor energético para cada pessoa, até porque, as necessidades energéticas variam com a idade, peso género, nível de actividade física, estilo de vida , metabolismo, etc...

     Contudo utiliza-se uma média de necessidades energéticas na ordem das 2000 Kcal (quilicalorias).

     Durante o dia, o ideal seria fazermos pelo menos 5 a 6 refeiçoes. As 2000 Kcal que devem ser ingeridas por dia devem ser repartidas pelo pequeno-almoço, lanche, almoço, merenda e jantar.

            Pequeno-almoço: 15% a 20% (=) 300 - 400 Kcal

            Lanche : 5 a 10% (=) 100 - 200 Kcal

            Almoço: 30 a 40 % (=) 600 a 800 Kcal

            Merenda: 10 a 15 % (=) 200 a 300 Kcal

            Jantar: 30 a 40% (=) 600 a 800 Kcal

     Note-se que ao longo do dia as nossas necessidades energéticas vao diminuindo, por isso, ao cair do dia e ao jantar devemos fazer refeiçoes mais leves e menos caloricas, para compensar a falta de gasto de energia.

     A actividade fisica requer do nosso organismo uma garnde quantidade de energia , pelo, entao, que lhe devemos fornecer uma energia extra quando fazemos actividade física.

     O organismo para um bom funcionamento necessita de:

             Hidratos de carbono (açucares) - 50 a 60%

             Proteínas - 10 a 15%

             Lipidos - 20 a 30 %

 

publicado por Alimentação e Saúde às 11:00 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

    

 

     Ao contrário da roda dos alimentos, a Pirâmide hierarquiza os alimentos, dando-lhes importâncias diferentes. Nas pirâmides, os alimentos que estão na base são os que devemos ingerir mais e os que estão no topo são os que devemos ingerir menor frequência.

     As pirâmides mais comuns na nossa sociedade são constituídas por quatro hierarquizações (a contar da base):

           1ª hierarquia : cereais e tubérculos;

           2ª hierarquia : está dividida em dois subgrupos de igual importância nesta hierarquia (Grupo dos Hortícolas e o Grupo das Frutas);

           3ª hierarquia : está dividida em três subgrupos, também de igual imporância (Grupo dos lacticíneos, Grupos das carnes, pescados e ovos e o Grupo das leguminosas);

           4ª hierarquia : Gorduras e óleos.

     Algumas pirâmides incluem uma hierarquia no fundo da base, que não é um grupo de alimentos, mas é sim, o Grupo do exercício físico.

 

 

publicado por Alimentação e Saúde às 10:36 | link do post | comentar | ver comentários (6) | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 25.02.10

           

 

     A Roda dos Alimentos foi criada pela Faculdade de Ciência da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP), e é uma ferramenta essencial para a educação de uma alimentação saudável. Foi criada em 1977, já na forma circular, mas devido ao avanço dos conhecimentos científicos e às alterações da dieta portuguesa, esta roda teve a necessidade de ser reestruturada.

     A roda dos alimentos é um gráfico circular (associação ao prato vulgarmente utilizado), que ajuda a escolher e a combinar os alimentos que devem fazer parte de uma alimentação equilibrada. Ao contrário das pirâmides, a roda dos alimentos não hierarquiza os alimentos, mas, sim, atribui-lhes a mesma importância. Ela também nos ensina a ter uma alimentação saudável, ou seja, a ter uma alimentação completa, equilibrada e variada.

     É constituída por 7 grupos de diferentes dimensões (os alimentos dos grupos de maiores dimensões devem ser mais consumidos diariamente do que os alimentos de menores dimensões), que nos indicam as proporções de alimentos dos sectores que devem ser ingeridos diariamente:

           Cereais e Derivados, Tubérculos - 28% (4-11 porções)

           Hortícolas - 23% (3-5 porções)

           Fruta - 20% (3-5 porções)

           Lacticínios - 18% (2-3 porções)

           Carnes, pescados e aves - 5% (1,5 - 4,5 porções)

           Leguminosas - 4% (1-2 porções)

           Gorduras e óleos - 2% (1-3 porções)

     Dentro de cada grupo os alimentos são nutricionalmente semelhantes e devem ser alternados uns pelos outros de modo a variar. Cada grupo tem funções e características nutricionais específicas, pelo que, na alimentação diária, devem estar presentes alimentos de todos os grupos e estes não devem ser substituídos entre si. 

     A água aparece no centro da roda dos alimentos, mas não tem um grupo próprio, pois está representada em todos os grupos, uma vez que faz parte de todos os alimentos. Aparece no centro da roda dos alimentos pois é essencial à vida, por isso, deve ser consumida em abundância, entre 1,5 a 3 litros por dia.

     A roda dos alimentos indica quantas porções de alimentos de cada grupo devemos ingerir por dia. Mas as necessidades energéticas individuais variam com o género, idade, peso, nível de actividade física, estilo de vida e metabolismo, ou seja, são diferentes de individuo para individuo. As crianças de 1 a 3 anos devem ingerir o limite inferior das porções; homens activos e rapazes adolescentes devem ingerir os limites superiores; a restante população deve ingerir valores intermédios.  

publicado por Alimentação e Saúde às 19:28 | link do post | comentar | ver comentários (6) | adicionar aos favoritos

     O que comemos tem influência directa na nossa vida e qualidade de vida.

     Já desde crianças, que a comida que ingerimos tem repercussões na saúde no futuro adulto. Os nossos hábitos alimentares de hoje são retrato dos hábitos alimentares do passado. as boas regras alimentares devem ser embutidas desde criança, ou seja, quanto mais cedo as pessoas forem habituadas a boas prática alimentares melhor será para a sua saúde e bem-estar do presente e do futuro. Mas nunca é tarde para emendarmos os nossos hábitos alimentares. Mais vale tarde do que nunca!

     O que é certo, é que quem se alimenta melhor, vive melhor, ou seja, ao manter uma dieta rica, equilibrada, completa e variada reduz o risco do aparecimento de doenças e até mesmo cancros. As doenças derivadas a erros alimentares só vão aparecendo com o avançar de idade. E são tantas as doenças que uma boa alimentação pode prevenir, tais como: colesterol, diabetes (nomeadamente diabetes tipo II), problemas cardíacos (por exemplo: enfartes no miocárdio, AVC), obesidade, etc.

     É certo que vivemos uma sociedade super ocupada com pouco tempo para cuidar de si e manter opções de um estilo de vida saudável, e que diariamente somos tentados pelos maravilhosos aspectos do chamado "fast-food", acabando por nos deixar levar por esse tipo de comida. Além disso, as pessoas tomam suplementos vitamínicos, em vez comerem os próprios alimentos ricos nessas vitaminas, para tapar a sua carência. A sociedade em que estamos inseridos leva-nos para a prática de maus hábitos alimentares. Mas temos de ser críticos em relação a isso, evitando, de certa forma, certos erros bastante prejudiciais à nossa saúde. 

     Ao termos uma alimentação saudável é como fazermos um seguro de vida para nós próprios, pois, assim, asseguramos ao nosso organismo vitalidade, boas defesas (um reforço no sistema imunitário), cabelo, unhas e pele saudáveis, energia necessária ao nosso organismo, um peso ideal que faz com que estejamos em boa forma e nos sintamos bem. 

 

publicado por Alimentação e Saúde às 18:47 | link do post | comentar | ver comentários (13) | adicionar aos favoritos
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
O Porquê da existência deste Blog?
Pertencemos à Escola Secundária de Caldas de Vizela, e, no âmbito da disciplina de área de projecto, sendo um grupo de futuras enfermeiras preocupamo-nos com a Saúde de toda a comunidade. As pessoas praticam muitos erros alimentares, e a sua saúde anda muito delibitada e sentem um mal-estar constante, recorrendo, logo, ao uso de fármacos para tratar esse mal-estar. Pois o que vimos aqui fazer é alertar toda a comunidade que muitos dos mal-estares comuns do nosso dia-a-dia devem-se a erros de prática alimentar, e que com melhores hábitos alimentares, ingerindo alimentos mais saudáveis, podendo riscar esses mal-estares tão incomodativos com quem nos deparamos diariamente.
pesquisar neste blog
 
arquivos
2010
Posts mais comentados